E se…

E se eu tivesse…

Familiar? Perdi as contas de quantos “E se” eu vivi!

E se eu tivesse estudado mais?E se eu tivesse optado por aquilo? E se eu tivesse agido naquele momento? E se eu tivesse tido mais paciência?

Não importa o que está após o “E se eu tivesse”, qualquer que seja a continuação é querer mudar o imutável!

Passamos grande parte do tempo olhando para o que não existe e perdendo o que está acontecendo. O que você teria feito não faz a menor diferença no que você vive hoje, não vai levá-lo a lugar algum, porém não significa que você não possa chegar a algum lugar.

Comece perguntando onde você está e a partir daí defina onde quer chegar!

Você sabe onde está? Difícil responder? Você só pode estar em um lugar, você está aqui e está agora! A partir daí você pode chegar onde quiser.

O momento da ação é hoje! O lugar é esse mesmo, não precisa de situação especial. Comece com o primeiro passo! O local de chegada você escolhe, mas a partida é sempre o momento presente. Comece com o passo mais simples! Primeiro as primeiras coisas. Isso se aplica a qualquer objetivo.

Quer passar em um concurso? Pegue um livro, escolha uma matéria, comece por um assunto, pode ser por 10 minutos. É o seu primeiro passo ele vai levá-lo ao segundo e assim sucessivamente.

Quer viajar? O que você tem hoje? Só a intenção? Comece fazendo o roteiro. Depois disso você terá a noção do tempo e recursos de que precisa e vai começar a executar o próximo passo.

O que quer que você queira, onde quer que você queira chegar, você tem uma infinidade de possibilidades que não estão no passado nem tampouco no futuro, estão aqui mesmo: nesse trabalho chato, nessa casa alugada, nessa idade dos seus filhos.

E se eu der o primeiro passo? Ta aí um “E se” que vale a pena!

Você pode mais do que imagina! Acredite!

 

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website